• Easy to Love: Antologia de Poesia Beat Feminina Quick View
    • Easy to Love: Antologia de Poesia Beat Feminina Quick View
    • Easy to Love: Antologia de Poesia Beat Feminina

    • 12.00
    • Adicionar
    • Vários Sr Teste Edições 2021 | 485124/21 | 115 pp. Antologia de poesia que reúne as principais vozes femininas da geração Beat. A condição feminina cantada/contada de forma crua, direta, íntima, sagrada. As imagens preciosas são da artista Isa Toledo , em pleno jogo do dizer o que se é. Desta edição foi feita uma edição especial de 50 exemplares intervencionados pela artista, numerados e assinados. “As palavras são actos” – Wittgenstein
  • Poesia Vertical Quick View
  • A Memória e a Mão Quick View
    • A Memória e a Mão Quick View
    • A Memória e a Mão

    • 11.00
    • Adicionar
    • A Memória e a Mão Sr Teste Edições 2021 | 487043/21 | 48 pp. Este precioso expressa a cada palavra, a cada gesto, a cada página a relação entre estes dois elementos humanos: a mão que cria e molda a memória; a memória que sublinha o gesto e movimento da mão. O corpo da revelação manifesta-se, o mistério aprofunda-se, sem justificação. A tradução é de Ricardo Ribeiro, as imagens mágicas de Isabel Barahona, a composição gráfica de Catarina Domingues.
  • Desmoronamento Quick View
    • Desmoronamento Quick View
    • Desmoronamento

    • 11.00
    • Adicionar
    • Américo Rodrigues Sr Teste Edições 2021 | 48114/21 | 76 pp. Colecção Fulgor Quotidiano #19 Desenhos: Maria Lino Composição gráfica: Catarina Domingues
  • VOZ PRÓPRIA – Poesia Resistência e Liberdade Quick View
    • VOZ PRÓPRIA – Poesia Resistência e Liberdade Quick View
    • VOZ PRÓPRIA – Poesia Resistência e Liberdade

    • 40.00
    • Adicionar
    • Jorge Ginja e Mário Viegas In-Libris & Direção Regional de Cultura do Norte 2021 | 9789728474225 | 194 pp. Este livro provém de um achado. Um achado “arqueológico”, se assim lhe quisermos chamar. Transporta-nos a um tempo em que a poesia não podia dizer. As bobines que Jorge Ginja guardou por mais de 50 anos foram gravadas pedindo ele, emprestada, a voz a Mário Viegas para que lhe dissesse as poesias que queria levar para a guerra. Fazemos agora, com elas, um livro. Constitui-se por estas palavras (outrora) ditas pelo jovem Viegas quando tinha 21 anos. Criamos-lhe dois caminhos: um, pode ser percorrido por via dos dois compact disc colocados na pasta anterior deste livro e leva-nos ao todo da obra gravada; outro, oferece-nos cada texto individualmente. O leitor encontrará, no início de cada escrito, um pequeno QR code a que facilmente poderá aceder com o seu telemóvel. Este é o caminho que nos leva a cada poema, um de cada vez.…
  • Dizeres de Atalaia II Quick View
  • Dizeres de Atalaia I Quick View
  • Sem Rasto Quick View
    • Sem Rasto Quick View
    • Sem Rasto

    • 20.00
    • Adicionar
    • Fátima Maldonado Averno 2021 | 5600213509595 | 349 pp. SEM RASTO (poesia reunida) Fátima Maldonado com capa de Sérgio Eloy e arranjo gráfico de Pedro Santos.
  • Pedras e Argilas Quick View
    • Pedras e Argilas Quick View
    • Pedras e Argilas

    • 14.00
    • Adicionar
    • António Barahona Averno 2020 | 0000020033507 | 128 pp. António Barahona, PEDRAS E ARGILAS com capa de Maria del Pilar Andalúz e arranjo gráfico de Inês Mateus.
  • Pátria Minha Quick View
    • Pátria Minha Quick View
    • Pátria Minha

    • 14.00
    • Adicionar
    • António Barahona Averno 2014 | 9000011480571 | 130 pp. Versos de António Barahona e capa de Inês Dias. Paginação e arranjo gráfico de Inês Mateus.
  • Sumário Quick View
    • Sumário Quick View
    • Sumário

    • 12.00
    • Adicionar
    • José Alberto Oliveira Averno 2021  | 5600217215805 | 80 pp. Versos de José Alberto Oliveira e capa de Luís Henriques. Paginação e arranjo gráfico de Pedro Santos.
  • Anónimos do Século XXI Quick View
  • Siringe Quick View
    • Siringe Quick View
    • Siringe

    • 13.00
    • Adicionar
    • Rosa Maria Martelo Averno 2017 | 9910000074059 | 75 pp. Versos de Rosa Maria Martelo e capa de Luis Manuel Gaspar. Paginação e arranjo gráfico de Inês Mateus.
  • Cadeiras Vazias Quick View
    • Cadeiras Vazias Quick View
    • Cadeiras Vazias

    • 9.00
    • Adicionar
    • Paulo da Costa Domingos Averno 2021 | 5600217215799 | 28 pp. Versos de Paulo da Costa Domingos e capa de Isabel Duarte Barreto. Paginação e arranjo gráfico de PCD.
  • Reservado o Direito de Admissão Quick View
    • Reservado o Direito de Admissão Quick View
    • Reservado o Direito de Admissão

    • 12.00
    • Adicionar
    • Vários autores Plantão 2020 | 9999900000375 | 97 pp. Com poemas de: A. M.Pires Cabral, A. Maria de Jesus, Abel Neves, Ana Paula Inácio, António Barahona, Emanuel Jorge Botelho, Fábio Neves Marcelino, Fernando Guerreiro, Inês Dias, João Paulo Esteves da Silva, José Alberto Oliveira, José Carlos Soares, Manuel de Freitas, Miguel Martins, Nunes da Rocha, Nuno Moura, Paulo da Costa Domingos, Renata Correia Botelho, Ricardo Álvaro, Rui Nunes, Teresa M. G. Jardim e Vítor Nogueira.
  • Textos de Trabalho Quick View
  • Quem Diremos Nós Que Viva? Quick View
  • Prelúdios Quick View
    • Prelúdios Quick View
    • Prelúdios

    • 12.00
    • Adicionar
    • Manuel de Freitas e e João Paulo Esteves da Silva Averno 2020 |471497/20 | 64 pp. PRELÚDIOS de Manuel de Freitas e João Paulo Esteves da Silva, com desenhos de Débora Figueiredo e Luís Henriques.
  • Ocarina Quick View
    • Ocarina Quick View
    • Ocarina

    • 13.00
    • Adicionar
    • António Barahona Averno 2016 | 415956/16 | 120 pp. Versos de António Barahona e capa de Mumtazz. Paginação e arranjo gráfico de Inês Mateus.
  • As Moscas de Sileno – Zig et Zig et Zag Quick View
  • Dobra Quick View
    • Dobra Quick View
    • Dobra

    • 44.00
    • Adicionar
    • Adília Lopes Assírio & Alvim 2021 | 9789723721782 | 1016 pp. Dobra reúne todos os livros de poesia de Adília Lopes. Como consequência, a nova edição que agora se apresenta foi ampliada e passa a incluir toda a obra poética publicada da autora, até fevereiro de 2021. Edição encadernada. «A poesia de Adília Lopes é uma estação fundamental e singular no percurso da poesia portuguesa desde os anos 80. o seu grande triunfo consistiu em renunciar completamente ao lirismo e às suas tonalidades afectivas, mantendo uma densidade que advém da exploração linguística, em todos os níveis.» (António Guerreiro, Expresso) EXCERTOS «HAVERÁ UMA BELEZA QUE NOS SALVE?» «Não, não há uma beleza que nos salve. Só a bondade nos salva. E a bondade manifesta-se, por vezes, no meio da maior fealdade. Explico-me. Uma pessoa capaz de actos de bondade, uma pessoa com bom coração, pode ter uma cara que é considerada feia, pode vestir-se de uma maneira que é considerada pirosa, pode ter tido…