• A Vida de Horácio e Outras ficções Quick View
    • A Vida de Horácio e Outras ficções Quick View
    • A Vida de Horácio e Outras ficções

    • 16.00
    • Adicionar
    • José António Almeida Não Edições 2021 | 9789895470891 | 140 pp. Depois de A ANGÚSTIA DA AZEITONA ANTES DE SE TRANSFORMAR EM LUZ (reflexões) e de POUCA TINTA (poesia reunida), é editado o livro A VIDA DE HORÁCIO E OUTRAS FICÇÕES, que reúne o trabalho de José António Almeida no campo da ficção. Com este volume completa-se um ciclo de reunião de textos do autor, publicados dispersamente ou em livro, alguns deles fora de circulação e agora devolvidos ao leitor. A VIDA DE HORÁCIO E OUTRAS FICÇÕES inclui um texto inédito que lhe serve de prefácio, "Magnólias, alfinetes e agulhas", e conta com capa de Luís Henriques.
  • Não São Para Valsas Todas as Noites Quick View
    • Não São Para Valsas Todas as Noites Quick View
    • Não São Para Valsas Todas as Noites

    • 12.00
    • Adicionar
    • ,
    • José Miguel Gervásio Língua Morta 2022 | 224 pp. "Os monstros que me acompanham lancei-os numa especial pista de dança, libertando-me da singularidade do seu peso na medida em que lhes dei uma voz para que sentissem tudo, tudinho em volta. As "Valsas" são delas e deles. Pois que dancem, que pulem, que gritem, que enlouqueçam, que façam amor nos jardins da cidade se assim lhes apetecer. No final tudo acaba bem, abraçados os mortos aos vivos a cantar."
  • O Diabo Quick View
    • O Diabo Quick View
    • O Diabo

    • 17.70
    • Adicionar
    • Gonçalo M. Tavares Bertrand Editora 2022 | 9789722535717 O Diabo, pela mão de Gonçalo M. Tavares, vem juntar-se ao mundo literário das Mitologias, um universo habitado por personagens que se movem num tempo e espaço indeterminados onde o referencial é aquilo que nos vai sendo contado. Aqui a verdade científica e a sua lógica pouco importam. Dotados dessa ampla liberdade, os leitores deambulam entre narrativas fantásticas que tanto actualizam explicações para um mundo em que vivemos como retratam traços marcantes da natureza humana que o habita. É um espaço imaginário onde, entre muitos outros, se entrecruzam o diabo, a escola, os corvos e o trator, as palas com todas as suas limitações e virtualidades, o cemitério de aviões e a loucura, os direitos dos homens, o Grande-Armazém, o Povo-Armazenado, os três fios vermelhos, os Doze-Apóstolos, a canalização, os piolhos, o crânio de Olga, os nomes, Paris, os Nómadas, o Comboio e os Meninos, o Homem-que-Quando-Fala-Não-se-Entende-Nada, o crescimento de Alexandre (a linha recta).…
  • Melancholia Quick View
    • Melancholia Quick View
    • Melancholia

    • 17.70
    • Adicionar
    • Francisco José Viegas Porto Editora 2022 | 9789720034700 | 336 pp. Ao longo de um ano, entre um encontro literário na Póvoa de Varzim e o início da pandemia, ninguém soube do paradeiro de Cristina Pinho Ferraz, escritora extravagante, premiada e temida. Até que, nos jardins românticos do Palácio de Cristal, no Porto, a coberto da copa das árvores, apareceu um corpo enterrado sob a terra, dividido em várias partes. Porém, a nova investigação do inspetor Jaime Ramos (que entretanto fora substituído na divisão de homicídios) não começa com a descoberta desse cadáver; pelo contrário, obriga-o a recuar no passado, a ouvir testemunhos sobre vaidade, vingança, literatura e ambição, e também histórias de família ou de amor e melancolia. Enquanto o confinamento se espalha sobre vivos e desaparecidos, Jaime Ramos reconstitui a biografia daquela mulher e a história de uma família e de uma genealogia do poder nas margens da tradição judaica portuense, confrontando-se mais uma vez com as suas obsessões: a…
  • Apocalipse – Uma Distopia Sobre o Presente Quick View
  • António Amargo. Quem? Quick View
    • António Amargo. Quem? Quick View
    • António Amargo. Quem?

    • 15.00
    • Adicionar
    • António Amargo Xerefé 2022 | 9789895494842 | 157 pp. Num volume graficamente muito cuidado, a editora Xerefé reuniu vários textos de uma figura ilustre do jornalismo e das letras da Figueira da Foz, hoje pouco conhecida. António Amargo, pseudónimo de António Correia Pinto de Almeida, nascido em 1896 (no Rio de Janeiro), foi fundador do jornal satírico “O Palhinhas” e colaborou com diversos outros periódicos, locais e nacionais, espalhando textos que hoje se afiguram preciosos para compreendermos as primeiras décadas do século passado. Aos textos juntam-se ilustrações de André Ruivo, Marta Madureira, Rita Carvalho e Sebastião Peixoto, para além de uma apresentação de Ana Biscaia e várias informações bio-bibliográficas.
  • Luz / Negra Quick View
  • Diálogo com a Gravidade Quick View
    • Diálogo com a Gravidade Quick View
    • Diálogo com a Gravidade

    • 10.00
    • Adicionar
    • Ushio Amagatsu VS. 2022 | 9789899105003 | 40 pp. Diálogo com a Gravidade, prosa poética que podia ao mesmo tempo ser uma carta a um jovem bailarino, é, no fundo, um manual acerca da dança, uma reivindicação de que «o corpo existe» e encontra a sua «expressão numa tensão física».
  • Dano e Virtude Quick View
  • Deste Silêncio em Mim Quick View
    • Deste Silêncio em Mim Quick View
    • Deste Silêncio em Mim

    • 14.90
    • Adicionar
    • Rui Conceição Silva Visgarolho 2021 | 9789895316700 | 351 pp. Quantos silêncios e quantos sonhos cabem no peito de um homem? Nascido para ser pastor, Rodrigo viveu a infância com os seus pais e irmãos numa velha cabana isolada na montanha, tendo desde cedo aprendido o silêncio, bem como a dor e a saudade, pela morte do irmão mais velho na guerra do ultramar. Os seus melhores dias foram passados na montanha com o avô Josué, a quem chamavam Celtibero, e na escola primária, onde conheceu os primeiros amigos e se deixou enfeitiçar por uma moira encantada. Rodrigo sonhava para si uma vida diferente, o avô incentivava-o a contrariar um destino que parecia certo, incitava-o a partir e correr mundo. Ouviu palavras idênticas a um homem que apareceu na montanha a tocar um tambor para os ancestrais.
  • O Caminho do Burro Quick View
    • O Caminho do Burro Quick View
    • O Caminho do Burro

    • 11.90
    • Adicionar
    • Paulo Moreiras Visgarolho 2021 | 9789895316717 | 187 pp. O Caminho do Burro é uma antologia dos melhores contos escritos por Paulo Moreiras, entre 1996 e 2017, que andavam dispersos por diversas publicações, algumas hoje esquecidas ou de difícil acesso. Contos onde o picaresco e a malícia do povo português andam de braço dado com as invejas e as cobiças de gente ruim e sem escrúpulos. Uns à procura de uma vida melhor, do amor, da amizade e outros a engendrar estratagemas a fim de estragar os bons planos do vizinho. Um retrato irónico, mordaz e cheio de humor sobre as grandezas e misérias de ser português, com os seus toques de malandro, pinga-amor e desenrascado. Tudo embrulhado pela riqueza vocabular a que Paulo Moreiras já nos habituou. Contos para comer, beber e rir por mais, que assim se dizem as verdades.
  • A Poeira dos Ossos – Contos Quick View
    • A Poeira dos Ossos – Contos Quick View
    • A Poeira dos Ossos – Contos

    • 11.40
    • Adicionar
    • Leonel Gomes Casqueira Visgarolho 2021 | 9789895316724 | 204 pp. A Poeira dos Ossos, estreia literária de Leonel Gomes Casqueira, é composto por um conjunto de contos desconcertantes e de grande originalidade, onde uma mundana galeria de personagens se debate com os universais temas da procura do amor, da partilha de afetos, da corporeidade grosseira das paixões e da demanda por aceitação; em situações que roçam por vezes o cómico e o absurdo.
  • Contágios Quick View
    • Contágios Quick View
    • Contágios

    • 14.90
    • Adicionar
    • Vários autores Visgarolho 2022 | 9789895316731 | 386 pp. Esta coletânea de Contos e Crónicas é fruto do projeto artístico Mapas do Confinamento. Usando as novas tecnologias para colmatar as distâncias, tem apostado em traduções para francês e inglês, com possibilidades de se abrir a outras línguas. Foi no pico da pandemia que os escritores portugueses Gabriela Ruivo Trindade e Nuno Gomes Garcia convidaram mais de uma centena de artistas de todos os países de língua portuguesa para desenharem em conjunto a cartografia da pandemia. Uma colaboração que visa registar, para memória futura, o modo como esta pandemia os afetou enquanto seres humanos e artistas, mas também as cicatrizes deixadas no tecido social de países como Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Portugal e muitos outros territórios onde estes artistas residem, tais como a França, o Reino Unido, os Estados Unidos, a Suíça, a Holanda e a Bélgica.
  • Duas Mulheres Quick View
    • Duas Mulheres Quick View
    • Duas Mulheres

    • 19.50
    • Adicionar
    • Maria Filomena Mónica Relógio D'Água 2022 | 9789897832420 | 216 pp. Esta é a história de duas mulheres de diferentes gerações que fizeram parte da vida da autora. A primeira, a sua avó, foi adolescente nos loucos anos 20; a segunda, a sua mãe, viveu sob o salazarismo. Maria Filomena Mónica, que atravessou as mudanças de Abril de 1974, avalia essas duas mulheres através de recordações, cartas, diários, fotografias e outros documentos.
  • Novas Cartas Portuguesas – 50 anos Quick View
    • Novas Cartas Portuguesas – 50 anos Quick View
    • Novas Cartas Portuguesas – 50 anos

    • 24.90
    • Adicionar
    • Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta, Maria Velho da Costa D. Quixote 2022 | 9789722074896 | 480 pp. Edição especial comemorativa dos 50 anos de um livro que é um marco inquestionável na história da literatura portuguesa. «É tal a rotura introduzida pelas Novas Cartas Portuguesas que a sua primeira abordagem só pode ser feita à luz do que elas não são. Não são uma colectânea de cartas, embora se reconheça nelas o estilo tradicionalmente cultivado pelas mulheres em literatura. Não são um conjunto de poemas esparsos, embora em poesia se converta toda a realidade retratada. Não são tão-pouco um romance, embora a história vivida (ou imaginada) de Mariana Alcoforado lhes seja a trama principal. São talvez um pouco de tudo isso. E ainda mais […]. Porque rompem, extravasam. Daí que as Novas Cartas Portuguesas se caracterizem antes de mais pelo excesso. Excessivas as situações, excessivo o tom, excessivas as repetições dum mesmo acto, excessivo afinal todo o livro que vai terminando sem realmente…
  • Ficção Quick View
    • Ficção Quick View
    • Ficção

    • 25.90
    • Adicionar
    • António Ferro E-Primatur 2021 | 9789898872791 | 692 pp. A produção literária de António Ferro faz dele provavelmente o único escritor modernista português a focar-se maioritariamente na prosa. António Ferro foi o jovem editor da revista Orpheu. A sua ligação ao modernismo vinha do convívio com Mário de Sá-Carneiro e outros jovens. A sua primeira fase de escritor focou-se no modernismo, tendo escrito poesia, teatro e, sobretudo, prosa ficcional. A ficção de António Ferro está centrada exclusivamente nos anos 20 do século XX. Fundamentalmente composta por contos e novelas curtas, centra-se na figura feminina, que, para o autor, encarna a novidade da época moderna. Vamps, galãs e carrões enchem os seus contos e novelas. Os contos e novelas de António Ferro fazem a perfeita travessia dos temas tradicionais da ficção da época para o estilo e a mentalidade modernas. Nisso é um escrito único cujo paralelo possível entre os escritores vanguardistas da época está, de forma quase exclusiva, nas obras de Ramón…
  • A Mulher Sem Pálpebras Quick View
    • A Mulher Sem Pálpebras Quick View
    • A Mulher Sem Pálpebras

    • 13.90
    • Adicionar
    • Ana Marques Gastão BookBuilders 2021 | 9789898973290 | 116 pp. Uma novela enigmática sobre a também enigmática relação entre uma mulher e o mundo. Libbie-Emília fica condenada a ver, a não fechar os olhos. A não dormir? A não sonhar? A narrativa, em dez actos, reflecte sobre o desejo, a morte, o tempo, o desajustamento, a imaterialidade das coisas. Matias, Megan, Olímpia, Helena Pyr, a Mulher-Gautama, Dante sem cabeça, Larry, Lora, Ágata, Ctónia, Deboni, Boaxi, John, Sávia, Badoloni, os sem-ouvidos, os seres-granadas, entre outras vozes, dão as mãos nesta dança da escrita. A Mulher sem Pálpebras descreve o itinerário de um corpo ao lado de tantos outros, também o dos poetas, dos artistas, dos místicos. «Interessa, o agora. Essa hora. Aqui. Libbie olha para baixo sem pálpebras. Os pés também não podem ver em excesso, tropeçam, enrolam-se um no outro. O ruído das botas vinha de cima como se as paredes não existissem e o chão fosse transparente. Para isso servem os…
  • Novas Cartas Portuguesas Quick View
    • Novas Cartas Portuguesas Quick View
    • Novas Cartas Portuguesas

    • 22.20
    • Adicionar
    • Maria Isabel Barreno, Maria Velho da Costa e Maria Teresa Horta Dom Quixote 9789722040112 | 464 pp. «Reescrevendo, pois, as conhecidas cartas seiscentistas da freira portuguesa, Novas Cartas Portuguesas afirma-se como um libelo contra a ideologia vigente no período pré-25 de Abril (denunciando a guerra colonial, o sistema judicial, a emigração, a violência, a situação das mulheres), revestindo-se de uma invulgar originalidade e actualidade, do ponto de vista literário e social. Comprova-o o facto de poder ser hoje lido à luz das mais recentes teorias feministas (ou emergentes dos Estudos Feministas, como a teoria queer), uma vez que resiste à catalogação ao desmantelar as fronteiras entre os géneros narrativo, poético e epistolar, empurrando os limites até pontos de fusão.» Ana Luísa Amaral in «Breve Introdução»
  • Naufrágio Quick View
    • Naufrágio Quick View
    • Naufrágio

    • 17.45
    • Adicionar
    • João Tordo Companhia das Letras 2022 | 9789897845390 | 320 pp. Aos sessenta anos, o romancista Jaime Toledo enfrenta vários problemas. Não escreve há uma década, foi diagnosticado com cancro e, de repente, dá por si no epicentro de um escândalo. Escritor de renome em Portugal, a polémica lança-o para o abismo - sem carreira, sem dinheiro e sem casa, com os livros a ganhar pó nos armazéns, depois de banidos pela sua editora, toma uma decisão radical: deixar tudo para trás e mudar-se para um barco decrépito, fundeado nas docas de Lisboa. É no Narcisse - um minúsculo «barco mágico» -, na companhia de uma velha guitarra e de um cão chamado Sozinho, que Jaime procurará devolver o sentido à sua vida, reconciliando-se com o passado: as relações conturbadas com as mulheres, o abandono da escrita, a culpa que o corrói. Até que, um dia, a aparição de uma figura do passado mudará tudo, desviando a narrativa para um lugar inesperado.…
  • Será Este Livro Um Romance? Quick View
    • Será Este Livro Um Romance? Quick View
    • Será Este Livro Um Romance?

    • 16.90
    • Adicionar
    • João Melo Caminho 2022 | 9789722131582 | 256 pp. Uma arrasadora paródia metaliterária e político-social, que não deixa pedra sobre pedra: as teorias, instituições e poderes literários e culturais; o eurocentrismo; os supremacismos, identitarismos e todos os excessos da contemporaneidade; os falsos reformismos. Mestre da ironia e do humor, assim como das técnicas narrativas pós-modernas, João Melo extrema-se numa construção inesperada e magistral, interpelando tais tendências com coragem e, ao mesmo tempo, compaixão e desconstruindo deliberadamente um certo pós-colonialismo folclórico, que limita os autores africanos a escolhas locais e de preferência exóticas.
  • Avieiros Quick View
    • Avieiros Quick View
    • Avieiros

    • 18.90
    • Adicionar
    • Alves Redol Caminho 9789722124102  | 360 pp. Avieiros é um romance lírico, de um lirismo doloroso e concreto. Documento e sonho vazados na matriz irregular de uma consciência, há nele um gosto fundo, autêntico e viril, de semear na companhia do povo um país para homens livres. Mas um lirismo rigoroso, digamos, sem romantismos fáceis, um pouco como os versos líricos que também moram nas tábuas de logaritmos ou nos foguetões interplanetários. Se confessar que este romance me aterrorizou, depois de me deslumbrar, digo a verdade inteira.